Escola da rede estadual de Guaraí tem duas equipes classificadas para a fase final da Olimpíada Brasileira em História

Equipe denominada Os Tucanos ficou com o título de melhor do Tocantins.

Duas equipes do Centro de Ensino Médio Oquerlina Torres, de Guaraí, foram classificadas para a fase final da 16ª edição da Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), sendo que uma delas, a denominada Os Tucanos, ficou com o título de melhor equipe do Tocantins.

A equipe Os Tucanos é formada pelos estudantes Lucas da Silva Evangelista, Ester Sousa Santos e Kayllan Rocha. A segunda equipe, com o nome de Guarás, é formada pelos alunos Anna Karolina Pinho, Yasline Alves dos Santos e Maria Regina Ferreira Soares. Esses dois grupos contaram com a orientação do professor de História, Dionathan Soares Fragoso. A Escola Oquerlina Torres faz parte da Superintendência Regional de Educação de Guaraí.

Esses estudantes foram convidados para participarem da fase final da olimpíada, que será presencial, na Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, no dia 24 de agosto, e da cerimônia de premiação, que acontecerá no dia 25.

O Tocantins registrou um total de 714 equipes inscritas na olimpíada e quatro destas foram classificadas para a fase final, representando as escolas públicas e privadas. Foram seis fases realizadas de forma on-line, com provas escritas e realização de tarefas.

No Colégio Estadual Oquerlina Torres, estudantes, professores e equipe gestora comemoraram o resultado. A escola iniciou a olimpíada com quatro equipes.

A estudante Ester, 18 anos, aluna da 3ª série do ensino médio, falou de sua alegria em ter avançado nas fases da olimpíada. “Fazer parte da melhor equipe do Tocantins na Olimpíada de História é uma honra enorme para nós. Significa que todo o nosso esforço, estudo e dedicação valeram a pena. Estamos representando nossa escola e nossa cidade, mostrando que temos conhecimento e paixão pela história. Além disso, é uma oportunidade incrível de aprendizado e crescimento, tanto acadêmico quanto pessoal. É uma experiência que vai ficar marcada para sempre em nossas vidas e nos motiva a continuar nos esforçando e buscando sempre o melhor”, contou.

 

 

Professor que motiva

O professor Dionathan foi aluno do Colégio Estadual Oquerlina Torres, em 2008 e em parte de 2009. Ele voltou à escola em 2021, como professor contratado, e, em 2024, tomou posse como profissional concursado. O educador desenvolve um trabalho que chama a atenção e faz a diferença na escola. Na olimpíada, ele contou com o apoio da professora Ana Lucia Silva Paula, que auxiliou as equipes na parte de elaboração das tarefas.

Além disso, entre os anos de 2022 e 2024, Dionathan desenvolveu uma pesquisa de Mestrado Profissional em Ensino de História, com o apoio de estudantes da unidade escolar, com destaque para história local dos moradores de Guaraí. Com o intuito de observar os costumes, os contos e ouvir as pessoas que participaram dos fatos e acontecimentos. O mestrado está sendo realizado na Universidade Federal do Norte do Tocantins.

 

 

Olimpíada – uma experiência transformadora

A professora de História, Aleticia Rocha, que atualmente trabalha na Superintendência Regional de Educação de Colinas, vibrou com o destaque do Colégio Estadual Oquerlina Torres na Olimpíada de História.

Aletícia foi a primeira professora do Tocantins que teve uma equipe selecionada para a fase presencial da olimpíada. E o seu gosto pela competição se tornou tão forte que ela viajou oito vezes para Campinas, para acompanhar estudantes e se tornou referência no Estado, por seu trabalho de motivar e preparar alunos para a Olimpíada de História. “Eu tenho experiência de alguns anos. A olimpíada é algo transformador na vida dos alunos, da família e da escola. Quem participa de uma edição final da olimpíada não esquece”, comentou.

 

 

Premiações

Neste ano, a ONHB ofertará bolsas de Iniciação Científica Júnior, que serão destinadas aos estudantes de escolas públicas que obtiverem as maiores pontuações na olimpíada, dentro do nível de ensino e do estado ao qual pertence.

As bolsas são disponibilizadas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e têm duração de 12 meses. Como contrapartida, os alunos contemplados deverão participar de ao menos um dos projetos da ONHB realizados em 2024 e 2025.

Outra vantagem de fazer parte da olimpíada é que a Unicamp destina vagas olímpicas para os estudantes que apresentarem um bom desempenho nas provas e atividades da olimpíada. Esses alunos podem concorrer a duas vagas no curso de graduação em História, sem a necessidade de vestibular.

A ONHB é um projeto do Departamento de História da Unicamp, do Serviço de Apoio ao Estudante (SAE), da Associação Nacional de História (Anph) e do CNPq.

Não perca nenhuma notícia importante. Assine nossa newsletter.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas notícias

Recomendações

Patrocinado

plugins premium WordPress

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você está ciente dessa funcionalidade. Consulte nossa Política de Privacidade.